A Noogênese Está Progredindo?

(por Maria Luiza Glycerio e Janice B. Paulsen)

TEILHARD DE CHARDIN (Pierre): «Jesuíta e paleontologista francês (Puy-de-Dôme, 1881; New York, 1955. A obra científica de Teilhard de Chardin situa-se principalmente na Ásia : descoberta do Sinanthropo (1929), explorações na Índia, em Java, participação no Cruzeiro Amarelo (1931, etc.). Seus escritos teológicos e filosóficos, proibidos pela Igreja durante sua vida, foram divulgados depois de sua morte. Iluminados por uma visão sintética do desenrolar universal da Evolução, eles dão valor ao fenômeno de complexificação cerebral do phylum humano, que levou ao aparecimento da consciência de si mesmo (“passo” da reflexão), depois a uma rede mundial de comunicação dos pensamentos humanos, a noosfera, no coração da qual age o “Cristo Evolutor” e é quem conduz a Humanidade, de maneira imanente e transcendente, ao mesmo tempo, para o “ponto Omega” (Reino de Deus). Ele escreveu um livro de destaque, “O Fenômeno Humano,” publicado depois de sua morte». (Le Grand Larousse Universel, Tome 14, p. 10095)

Diante de tantas forças de destruição, neste fim de milênio, a “consciência planetária” de Teilhard de Chardin continua sempre se realizando?

Noogênese e Noosfera

Antes de tudo, é preciso esclarecer esses dois termos, que geram enormes confusões relativas à compreensão de duas realidades diferentes às quais eles se referem.

Noogênese, do grego noos = mente (alma, espírito, pensamento, consciência) e gênese = origem, (formação, criação, como “a criação do mundo”), é uma palavra que indica o ato da criação de qualquer coisa de psíquico.

Noosfera, também do grego noos = mente (alma, espírito, pensamento, consciência) sphera (corpo limitado por uma superfície redonda), é uma palavra que representa a camada psíquica nascida da Noogênese, que cresce e envolve nosso planeta acima da Biosfera (camada formada pela multidão de seres vivos, que cobre a superfície do globo).

Quando o Homem apareceu na Natureza, “no meio dos Primatas,” ele desabrochou como “a flecha da Evolução zoológica” (PM p. 181). Ele era semelhante aos outros animais, exceto pelo fato de que ele trazia consigo uma diferença toda especial : a capacidade ainda adormecida de refletir. No estágio de hominização, os primeiros hominídeos tinham, em latência, um cérebro capaz de refletir, mas um sistema nervoso ainda primitivo. O movimento dispersivo do primeiro povoamento da Terra não favorecia a comunicação por agrupamentos. Em seguida, entretanto, durante o princípio da etapa do Homo Sapiens, no alvorecer da Era Neolítica, a Humanidade começava a se reunir, formando uma linha convergente sobre a Terra ; a aglomeração tornou-se necessária. Essa condição favorável encorajou o Homem a dar o Passo da Reflexão. Então um fenômeno muito especial é produzido : o nascimento de uma nova esfera planetária, acima da Biosfera, a Noosfera. A esse processo de dar origem a uma camada planetária inteiramente nova, formada totalmente pelo conjunto do pensamento humano, deu-se o nome de Noogênese (PH p. 160-173).

A Noosfera, portanto, é o resultado da Noogênese ; uma camada mais madura, em crescimento e definitiva, feita pelo conjunto do pensamento do Homo Sapiens. Ela está aberta a todas as modificações sutís, desde o estágio primitivo até chegar a abrigar todo o conhecimento humano, todas as idéias e tecnologias cada vez mais complexas, ou seja, toda a consciência planetária.

Para que o cérebro fosse capaz dessa absorção quase que ilimitada e que o pensamento humano pudesse se desenvolver até os tempos modernos, foi preciso que o Homem sofresse algumas modificações essenciais em seu cérebro e em seu sistema nervoso. Em seu cérebro primitivo, já havia algumas estruturas prontas para se desenvolver, em um movimento semelhante àquele da Evolução, em um movimento de curvatura sobre si mesmas, caracterizado por duas formas específicas . É necessário diferenciar nessas duas formas o que chamamos de soma, que é a expressão do fenótipo geral e o phrên, evoluindo ao mesmo tempo, mas com ritmos e funções diferentes  (GZH,  p.57). De interesse particular é o phrên, palavra grega que se refere ao psiquismo, pois é o psiquismo humano que vai “alimentar” a esfera planetária especial que denominamos Noosfera.

Desde o organismo pouco complexo do peixe, ancestral do Homem no ramo dos Cordados-Vertebrados da “Árvore da Vida,” pode-se distinguir “duas zonas especialmente significativas do encáfalo” (GZH p. 62) : o cerebelo, também chamado de“pequeno cérebro” e os dois hemisférios cerebrais. São as zonas que evoluiram mais do que as outras e que o Homem possui, em uma escala de complexidade bem maior, na grande linha evolutiva de curvatura sobre si mesmas (GZH pp. 60-62):

“Pois bem, o que nos ensina (sem mesmo o recurso da Paleontologia) a Anatomia Comparada dos seres vivos, é que, de grupo em grupo, começando pelos Peixes, duas zonas especialmente significativas do encéfalo tendem a se sobressair em relação às outras, quer dizer, a concentrar sobre elas os progressos da cefalização : por um lado o cerebelo, – e de outro lado, principalmente, os hemisférios cerebrais ; estes assumindo, nos Répteis mais adiantados (Pássaros) e, muito mais ainda, nos Mamíferos (pelo menos a partir de certos estágios e seguindo certos phyla), um desenvolvimento rápido, revolucionário, envolvente : até monopolizar de certo modo a cavidade endocraniana e recobrir o cerebelo.” (GZH p. 62)

Evidentemente, o cérebro do Homem já se tornou bem equipado. Entretanto, pode-se perguntar, diante de tantas forças de destruição, neste fim de milênio, se esse cérebro se tornará suficientemente complexo e suficientemente capaz de reflexão, no sentido“noosférico”, para iluminar a rota para o futuro. Para que a Humanidade evite sua auto-destruição no próximo milênio ; para que a Noogênese continue a progredir no bom rumo evolutivo, teremos que esperar por uma nova complexificação ou orientação no Espírito do Homem ? “O Homem, … eixo e flecha da Evolução” (PH p. 24), irá tornar-se mais compreensivo em relação a seu Próximo e mais aberto espiritualmente em relação à fonte de sua Criação ? Ele irá empregar todos os enormes recursos materiais e técnico-sociais do planeta, para criar maiores vínculos econômicos, sociais e espirituais, em vez de se permitir capitular diante das forças de repulsão e de desintegração ?

A Retomada da Evolução

No capítulo sobre a formação da Noosfera, do Grupo Zoológico Humano, Teilhard procura nos convencer de que o Homem entrou agora no período da “Retomada da Evolução e Neo-cerebralização” e que a Humanidade está evoluindo «Em direção a mais cérebro» (GZH,  pp.148-150):

“Desse modo, no interior da Noosfera em vias de compressão, uma nova corrente se desenharia, especialmente central e direta : a cerebralização (efeito superior e parâmetro da curvatura cósmica), fechando-se sobre si mesma em um processo de auto-acabamento ; uma auto-cerebralização da Humanidade, tornando-se a expressão mais concentrada da retomada reflexiva da Evolução.*

*Aquí reaparece e se acentua, até tornar-se dominante, a distinção entre soma phrên, colocada acima,  (GZH,  p. 57) – Com o aparecimento sobre a Terra da ‘Socialização de compressão’ (onde o fator mais importante não é mais simplesmente a multiplicação dos indivíduos, mas sim sua capacidade ultra-cerebralizante) estabelece-se de fato um novo regime de evolução biológica, no qual os indivíduos, funcionando ainda como elos por seu germen (prolongamento do‘phylético’ no Humano, sob forma de fibras hereditárias sempre reconhecíveis, apesar de estarem cada vez mais entrelaçadas), afirmam-se principalmente pelo seu phrên, como elementos constitutivos do ‘cérebro noosférico’ (órgão da reflexão coletiva humana).”

A Evolução, Teilhard nos afirma, não chegou a seu fim ; ela retoma seu curso, no mesmo processo de curvatura sobre si mesma, mas desta vez como uma Evolução consciente de si mesma, originando uma nova etapa da Noogênese, que não cessou depois da criação da Noosfera. Muito pelo contrário, através da super-população da Terra, a Noogênese está progredindo, debaixo de nossos olhos cegos, de salto em salto, em direção ao futuro.

Então, como reconhecer esse progresso, esta nova etapa da Noogênese ? Haverá esperança de uma verdadeira consciência planetária no terceiro milênio ? Ousaremos esperar uma era onde a matéria será posta a serviço do Espírito, ao inverso do que acontece hoje ? Se a resposta é sim, como se efetuará essa mudança ?

Segundo Teilhard, ssa retomada da Evolução acontece através de mutações sutís, de geração em geração, como um continuum, seguindo o phylum genético, que tem sua origem nas sombras do enorme Passado do Homem. Ela é visível a nossos olhos alertas em pequenas nuances que podem ser observadas de modo notável no espaço de algumas gerações. Vejamos o fenômeno da Prolepse, ou seja, a diferença de altura entre uma dada geração e sua descendência. Nesse caso, a geração F2 é mais alta do que a geração F1. É um fenômeno já estudado pela Ciência há algumas décadas, anteriormente mais disperso, mas atualmente mais frequente. Observado antigamente somente nos povos do Norte da Europa, mas hoje em dia é evidente nos povos do mundo inteiro, sem distinção de raça ou de consangüinidade.

Paralelamente a essa mutação, há uma outra diferença no QI das gerações mais jovens, onde se pode obervar facilmente uma sensível diferença a favor das gerações F2. Isso vem provar, lembrando-nos da “Lei de Complexidade-Consciência” que rege a Evolução, tendo em mente o desenvolvimento das estruturas do cérebro, que se trata de um movimento de Cerebralização. É uma complexificação cerebral, tanto física como psíquica : física, levando-se em conta a especialização dos neurônios com o aumento de comprimento das fibras nervosas, necessário para ocupar maior espaço em um corpo físico de altura maior e com um cérebro mais complexo ; e psíquica, em relação ao comportamento do Homem, que, seguindo a lei principal, torna-se mais consciente de si mesmo e agora procura maior Individuação, em uma convegência interior que está em harmonia com a direção evolutiva.

Esse movimento de Cerebralização através de mutações psíquicas, como também físicas, prepara a próxima etapa evolutiva, porque, como Teilhard nos explica, “A Evolução é uma transformação primordialmente psíquica” (PH p. 163). Diante dos “limites orgânicos do cérebro,” o movimento, no futuro, seria no Espírito da Humanidade  (A Sobrevida, PH IV p. 280) .

[“… Elevando-se em direção aos maiores complexos, o mesmo elemento ‘psíquico,’ desde seu primeiro aparecimento nos seres humanos, manifesta, em relação à sua matriz de ‘complexidade,’ uma tendência ao domínio e à autonomia. Nas origens da vida, poderia parecer ser a sede de organização (F1) que, em cada elemento individual, engendra e dirige seu centro relativo à consciência (F2). Entretanto, subindo mais alto, o equilíbrio se inverte. Sem engano, desde o primeiro “passo individual da reflexão” — se não antes — é F2 que começa a se encarregar (‘por invenção’ ?) do progresso de F1. Depois, subindo mais alto ainda, … chegando-se no limiar (conjecturado) da reflexão coletiva, encontramos F2 destacando-se aparentemente de sua limitação temporo-espacial para se unir à sede suprema e universal Omega. Depois da emergência, vem a emersão. Nas perspectivas da involução cósmica, não apenas a consciência torna-se co-extensiva ao universo, mas o universo continua em equilíbrio e em consistência, sob a forma de pensamento, em um pólo supremo da interiorização.” (Postscriptum, PM  p. 309) ]

Uma questão surge nesse ponto, mas impossível de se provar, tão escondida ela está na duração do Tempo, no próprio começo da hominização, que é a seguinte : Trata-se de um só phylum genético, ou por outro lado, de diversos phyla ? Se fossem diversos phyla, isso explicaria a diferença das raças humanas e o povoamento dispersivo inicial, aparentemente sem lógica, ao acaso, mas logo agrupando-se e estabelecendo-se em zonas demarcadas do planeta.

Esta questão deve talvez ter sido levantada e estudada pelos cientistas modernos, que com os avanços da Ciência Moderna, dispõem agora de infinitos recursos para levantar o véu de alguns dos antigos “mistérios”.

Na opinião de Teilhard, “todos os ramos humanos unem-se geneticamente em baixo da escala, no próprio ponto da reflexão.” ((PM p. 188) Em uma nota no rodapé da mesma página, ele acrescenta sua convicção de que a Ciência do Homem poderia pronunciar-se a favor do monophyletismo ( apenas um phylum genético).

É esta, em essência, a explicação de um só phylum genético no início. Não é provável que a Ciência possa provar empiricamente a verdade da teoria dos diversos phyla. É pena, pois isso nos deixa no campo perigoso das perguntas sem resposta, que se referem à nova dimensão do Homem e de seu psiquismo.

Assim, quando se vai exminar o comportamento do Homem Moderno, é preciso dar-lhe um sentido ; perscrutar sua motivação final ; e não nos perdermos em considerações tão detalhadas de sua estrutura física, tão aperfeiçoada, que vem coroar a Evolução. Mas, para que esse fenômeno humano tenha um sentido, é preciso supor uma outra estrutura dinâmica no Homem, que seria seu Espírito, sua alma, esta não possuindo um “locus” palpável em todas essas ramificações especializadas cerebrais ; mas a qual vai orientar seu comportamento psíquico daquí por diante, em direção a maior desenvolvimento espiritual para a Era da consciência coletiva no futuro.

Teilhard tinha a convicção de que “a caminhada da Humanidade, prolongando a de todos os seres vivos, desenvolve-se incontestavelmente no sentido de uma conquista da matéria, posta a serviço do Espírito,… o Pensamento aperfeiçoando artificiosamente o próprio órgão de seu pensamento, a vida retomada para adiante sob o efeito coletivo de sua Reflexão.” ( A Sobrevida, PH IV p.250 )*

 (* Para citações mais detalhadas do último livro do Fenômeno Humano, cf. (A Sobrevida, PH IV) :

Infelizmente, neste fim de milênio, pode-se perguntar se “a caminhada da Humanidade” não se enganou de estrada, pois ela parece caminhar, de preferência, em direção a uma Era onde o Espírito seria colocado a serviço da Matéria.

No desespero de encontrar “paz sobre a Terra,” sem mesmo pensar na paz dentro de si ; para fugir aos conflitos da Terra ; para se afastar das forças negativas de desintegrção, de repulsão, de materialização, de mecanização, de totalitarismo e de falsas ideologias que destroem a reflexão, o homem pensante de hoje interioriza-se, curvando-se sobre si mesmo em busca de maior Individuação. Ele tende a se isolar e procura “tornar-se mais solitário para Ser mais profundamente.” (A Sobrevida, PH IV pp. 237-238) Pelo excesso de sua individualização e de sua luta pela vida, ele se engana, sucumbindo facilmente à sobrevivência do mais apto e ao racismo, ou então ele sonha em fugir dos outros e da Terra, procurando outros planetas ou outras dimensões de existência…

Os Efeitos sobre a Noosfera

Todo esse processo de retomada da Evolução não poderia se efetuar sem estar de acordo com a lei principal de Complexidade-Consciência e sem abranger, também, simultaneamente, a corpusculização planetária do Cosmos como um todo, que, seguindo a lei de Convergência,(« Tudo o que sobe, converge »), leva-nos a pensar em um Universo que se recurva ao se expandir.

É como se esse processo subjugasse nosso pequeno planeta, com suas tendências, reconhecidas pela Ciência Moderna, de entropia e de desagregação da energia. Mas não são processos, entretanto, com resultados negativos, pois a entropia, por um lado negativa enquanto que ela destrói a ordem, torna-se em seguida positiva, enquanto que ela contribui para a construção, junto com a energia salva da desagregação em marcha, de novos parâmetros de ordem, em um nível superior, baseados nas mutações originadas dos anteriores Progressos da Noogênese.

Como a Noosfera é um envelope feito pelo pensamento humano, ela evolui simultaneamente com o conjunto da evolução da consciência planetária. Mas a Humanidade, em vias de totalização pela Socialização de Compressão, mostra-se preocupada em escapar às tensões produzidas pela super-população étnica, ao Totalitarismo sempre agressivo e aos perigos constatados da Entropia e da Desagregação da Energia e aos desastres ecológicos que ameaçam a destruição de nosso planeta. Todos esses fatores parecem tornar impossível as perspectivas de uma vida digna e pacífica para o Homem em um futuro próximo.

Parece-nos que chegamos a um impasse. Seria possível que a Noosfera tenha atingido seu ponto de Saturação, onde as chances de sucesso ou de insucesso seriam, ou irreversíveis, ou indiferentes para o Homem moderno, sempre preocupado com sua sobrevivência física e com seu bem-estar material ?  (GZH  pp. 160-162)

O que se poderia fazer para encorajar, para garantir que a “auto-cerebralização da Humanidade [torne-se] a expressão mais concentrada da retomada reflexiva da Evolução” (GZH  pp.148-150)  que caminha “em direção à conquista da matéria, posta a serviço do Espírito”  (A Sobrevida, PH IV. p.250 ) ?

Soluções possíveis para as Saídas do Mundo Terrestre

Em seu artigo “ Noosfera e hypermundo”, Pierre Berger, jornalista do Mundo Informático, cita estes pensamentos de Teilhard em seu livro “O Futuro do Homem”,  a respeito de nossa “Sobrevida” :

 (AH, p. 360) “Omega é o grande atrator do regime de socialização compressiva, no qual acabamos de entrar ; nada nos permite prever uma atenuação e ainda menos o fim. Nessas condições, é evidente que não nos serviria de nada procurar escapar do turbilhão que se encerra ao redor de nós. Por outro lado, o que é importante ao extremo, é saber como, nesse turbilhão, orientar-nos e nos comportarmos espiritualmente, de tal modo que o apêrto totalizante ao qual estamos submetidos tenha por consequência não o fato de nos desumanizar através da mecanização, mas (como parece possível) superumanizar-nos através da intensificação de nossos poderes de compreensão e de amor.

… Até nas zonas mais espiritualizadas de nosso ser, certas necessidades interiores subsistem, sem dúvida, que forçam inexoravelmente a prosseguir sem parar a nossa caminhada para adiante. … Imitando e, pouco a pouco, alternando com a tendência vinda de baixo, eis portanto que se descobre a aparição de um ponto de atração vindo de cima, como se fosse oganicamente indispensável para a continuação da operação : indispensável para sustentar o impulso evolutivo ; e indispensável, ao mesmo tempo, para criar, ao redor da Humanidade em vias de totalização, o calor psíquico, a atmosfera cordial, fora da qual o empreendimento técnico-econômico do mundo não faria outra coisa senão esmagar as almas umas contra as outras, sem chegar a ligá-las entre si e a unificá-las… não poderia nesse ponto existir… senão um Universo… convergente. Algum cume, alguma revelação vivificadora no fim da trajetória… “

 (AH, p.363) “… duas soluções parcialmente divergentes aparecem e se opõem… Segundo alguns (“solução coletivista”), bastaria, para grantir o sucesso biolólico de nossa evolução, que o Humano conseguisse se acomodar um pouco, globalmente, em uma espécie de circuito fechado, segundo o qual cada elemento pensante… conectado com todos os outros, alcançasse uma certa claridade final de visão e um certo calor extremo de simpatia … mas tudo isso sem a aparição… de nenhum centro… Segundo outros, pelo contrário (“solução personalista”), é justamente algum Centro de reunião, é precisamente algum fim global que é necessário prever e postular… Se, com efeito… uma forma real de amor apareça no coração da evolução — amor mais forte do que todo egoismo individual e toda paixão particular — como querem que algum dia a Noosfera se estabilize ? … Na verdade, para ser coerente, sem pulvelizá-la, a multidão humana,… um campo de atração, ao mesmo tempo poderoso e irreversível, parece indispensável… Assim raciocinam e sentem (pelo menos implicitamente) todos os cristãos há dois mil anos. E assim, … sob a urgência dos acontecimentos, um número sempre crescente de biólogos e de psicólogos sentir-se-á obrigado a pensar. Se bem que o maior acontecimento de agora, ao longo da História da Terra, seria talvez, precisamente, a descoberta gradual… não apenas de Alguma Coisa, mas de Alguém, no cume engendrado pela convergência sobre si mesmo do Universo em evolução.”

Então, o que se pode predizer como saída para o mundo terrestre ?

Isso vai depender de NÓS, — de nossa recusa ou de nossa aceitação desse “Alguém” segundo Teilhard. Ele prevê duas possibilidades quase que contraditórias ; mas sempre nos indicando que, em todo caso, nós devemos empregar nossos esforços em direção à boa. A Sobrevida, PH IV pp. 289-291) :

 (p. 289) “O fim do Mundo: mudança de equilíbrio, desprendendo o Espírito, por fim completo, de sua matriz material, para fazê-lo repousar daí em diante, com todo seu peso, sobre Deus-Omega.

O fim do Mundo : ponto crítico, ao mesmo tempo de emergência e de emersão, de amadurecimento e de evasão.”

(p. 290) “… Mas também pode ser que, seguindo uma lei à qual nada ainda escapou no Passado, o Mal, crescendo ao mesmo tempo que o Bem, atinja no fim seu paroxismo, ele também sob uma forma especificamente nova. Não há cumes sem abismos.”

 (p.291) “Recusa ou aceitação de Omega ?

… ao longo e em virtude do processo que a mantém unida, a Noosfera, chegada a seu ponto de unificação, possa se dividir em duas zonas, respectivamente atraídas por dois polos antagonistas de adoração…

… Uma última vez ainda a ramificação.”

Então, a única saída possível seria de ordem espiritual, tendo Confiança no grande e trabalhoso processo da Evolução, que, tendo conseguido criar os seres humanos com tantos cuidados, não pode ser concebida como tendo se organizado ao acaso. É preciso afirmar, com Teilhard, que “Sim”, é uma Evolução dirigida, consciente de si mesma ; porque há um “Motor” que a orienta e a atrai para Si, o Ponto Omega. Portanto, por que não dizê-lo ? Esse Motor é Deus, princípio gerador e ao mesmo tempo final, que realiza em Si o encontro dos dois polos de atração Alfa e Omega e dá ao Homem o pensamento, a consciência, a alma, a  e a Energia doAmor para continuar seu caminho de Paz e de Construçãodeum Futuro digno para todos nós. 1

* Não é que já nos disse São Paul o em sua carta aos  Efiseus (1:0-10, LSG) ?

“… Porque Deus nos fez “ conhecer o mistério de sua vontade, segundo o plano benevolente que ele havia formado em si mesmo, para executá-lo quando os tempos houvessem chegado, de reunir todas as coisas em Cristo, aquelas que estão nos céus e aquelas que estão sobre a terra.”

É o que se chama “Pleroma” , como Teilhard nos explica no segundo capítulo do Meio Divino (p. 135):

“… Essa Realidade suprema e complexa, para a qual a obra divina nos constrói, qual é ela ? São Paulo, junto com São João, revelou-nos… ; é o misterioso Pleroma, quando o Uno substancial e o Múltiplo criado se encontram sem confusão, em uma Totalidade que, sem nada acrescentar de essencial a Deus, será pelo menos uma espécie de triunfo e de generalização do ser.”

« O Cristo Evolutor » :

Teilhard dá testemunho da realidade de sua fé no “Cristo Evolutor” no Epílogo do  Fenômeno  Humano : O Fenômeno Cristão, (PM pp. 293-294) :

 [“Como lemos em São Paulo e em São João, lemos também que criar, construir e purificar o mundo é, para Deus, unificá-lo, unificando-o organicamente consigo mesmo. Como Ele o unifica ? Imergindo-Se parcialmente nas coisas, tornando-Se ‘elemento’; e depois, dessa posição vantajosa no coração da matéria, assumindo o controle e a direção do que chamamos de Evolução. O Cristo, princípio da vitalidade universal tendo Se manifestado como Homem entre os homens, colocou-Se na posição (sempre mantida) de englobar sob Si mesmo a ascenção geral das consciências nas quais Ele se inseriu. Através do ato perpétuo de comunhão e de sublimação, Ele agrega para Si mesmo o psiquismo total da Terra. E, quando Ele houver reunido tudo e tudo transformado, Ele tornará a se fechar sobre Si mesmo e Suas conquistas para retornar enfim, em um gesto final, ao lugar divino de onde Ele nunca saiu. Então, como nos disse São Paulo, Deus será Todo em tudo. É a expectativa de uma unidade perfeita, mergulhada na qual cada elemento atingirá sua consumação ao mesmo tempo que o Universo.

O Universo se realizando em uma síntese de centros em conformidade perfeita com as leis da união. Deus, o Centro dos centros. Nessa visão final, o dogma do Cristianismo se culmina. E tão exatamente, tão perfeitamente essa culminação coincide com o Ponto Omega, que, sem dúvida, eu não teria jamais me aventurado a antecipar Sua visão, ou formulado a hipótese racionalmente, se, em minha consciência de crente, eu não houvesse encontrado, não apenas seu modelo especulativo, mas também sua realidade viva.” ]

E o Progresso da Noosfera no futuro?

Assim, sob que forma, seguindo quais linhas, poderíamos conceber o progresso dos efeitos “noosféricos” no futuro ?

Eis a visão otimista de Teilhard, há mais de cinquenta anos (A Sobrevida, PH IV pp. 279-280, p. 287) :

 (p.279) “Sob que forma e seguindo quais linhas, — na única hipótese aceitável de um sucesso, — podemos imaginar que… irá se desenvolver o Progresso ?

Antes de tudo, sob uma forma coletiva e espiritual – Desde a aparição do Homem, pudemos observar um certo retardamento de transformações passivas e somáticas do organismo, em benefício de metamorfoses conscientes e ativas do indivíduo quando em sociedade. O artificial alternando com o natural. A transmissão oral ou escrita sobrepondo-se às formas genéticas (ou cromossômicas) da hereditariedade…”

 (p.280) “Pode ser que, em sua capacidade e em sua penetração individuais, nosso cérebro tenha atingido seus limites orgânicos. Mas o movimento não cessa por causa disso. Do Ocidente ao Oriente, a Evolução está ocupada, daquí por diante, em toda parte, em um campo mais rico e mais complexo, construindo, com todos os espíritos reunidos, — o Espírito — acima das nações e das raças, como um todo inevitável e já se formando, da Humanidade.”

 (p.287) “A Humanidade possui, diante de si, possibilidades imensas… Depois do Passo da Reflexão, graças às surprendentes propriedades do ‘artificial’ que, separando o instrumento do órgão, permite ao mesmo indivíduo intensificar e variar indefinidamente as modalidades de sua ação, sem perder nada de sua liberdade, – graças, ao mesmo tempo, ao poder prodigioso do Pensamento de aproximar e de combinar, em um mesmo esforço consciente, todas as partículas humanas, nós entramos em um campo absolutamente novo de Evolução. … Nós ainda não temos idéia da grandeza possível dos efeitos “noosféricos.” A ressonância das vibrações humanas de milhões ! … O produto coletivo e aditivo de um milhão de anos de Pensamento !”

Como testemunham estas palavras de Jean-Pierre Luminet, astrofísico, diretor de pesquisas no CNRS , esse “produto coletivo e aditivo” da Consciência planetária é bem evidente com a Internet neste fim de segundo milênio ; o que dá realidade ao Progresso atual dos efeitos “noosféricos” :

“Com a Internet, essa consciência planetária, tão decantada por precursores como Teilhard de Chardin, torna-se palpável. No cybermundo, a noção de estrangeiro não existe.”

 E O PROGRESSO NOOSFÉRICO NO PRÓXIMO MILÊNIO ? CABERÁ A NÓS !

 

Bibliografia

  1. Le Grand Larousse Universel, Tomo 14, p. 10095. (1985). Librairie Larousse. Paris.
  2. Teilhard de Chardin, Pierre. (1955). Le Phénomène Humain. Éditions du Seuil. Paris.
  3. Teilhard de Chardin, Pierre. (1975). O fenômeno do homem. New York: Harper & Row.
  4. Teilhard de Chardin, Pierre. (1957). A Milieu Divin. Éditions du Seuil. Paris.
  5. Teilhard de Chardin, Pierre (1964). O futuro do homem. New York: Harper & Row.
  6. Teilhard de Chardin, Pierre. (1959). L’Avenir de l’Homme. Éditions du Seuil. Paris.
  7. Teilhard de Chardin, Pierre. (1962). Cartas de um viajante. New York: Harper & Row.
  8. Teilhard de Chardin, Pierre. (1973). Lugar do Homem na Natureza. New York: Harper & Row.
  9. Teilhard de Chardin, Pierre. (1956). Le Groupe Zoologique Humain. Éditions Albin Michel. Paris.
  10. Fundação Pierre Teilhard de Chardin, Museu Nacional de História Natural: <http://www.mnhn.fr/teilhard/index.html> .
  11. Groupe (de Caen) d’études Teilhard de Chardin: <http://www.baclesse.fr/ ~ abbat / index.html> .
  12. Le Phénomène Humain e Le Milieu Divin: Citações: <http://www.baclesse.fr/ ~ abbat / f-citations.html>.
  13. O fenômeno do homem: Citações <http://www.baclesse.fr/ ~ abbat / g-quotations.html>.
  14. Pierre Teilhard de Chardin: «Tout ce qui monte, converge» (Maria Luiza Glycerio): <http://sites.uol.com.br/pteilhard.htm> .
  15. Círculo de Estudos Teilhard de Chardin – PARA SE Inscrever: < mailto: glyka@uol.com.br) >.
  16. Teilhard de Chardin: « La Noogénèse, progresse-t-elle? »(Maria Luiza Glycerio et Janice B. Paulsen): <http://www.richmond.edu/~jpaulsen/teilhard/noogenes.html>.
  17. Teilhard de Chardin: “É Noogênese progredindo?” (Maria Luiza Glycerio e Janice B. Paulsen): <http://www.richmond.edu/~jpaulsen/teilhard/isnoogen.html> .
  18. Citações (Citações) du Phénomène Humain (Janice B. Paulsen QF.): <http://www.richmond.edu/ ~ jpaulsen / Teilhard / citation.html >.
  19. Citações (Citações) du Phénomène Humain (Janice B. Paulsen QF.): IV. La Survie: <http://www.richmond.edu/~jpaulsen/teilhard/survie.html> .
  20. O fenômeno do homem: Citações do Livro IV – Sobrevivência (Janice B. Paulsen QF.): <http://www.richmond.edu/~jpaulsen/teilhard/survival.html>
  21. O fenômeno do homem: Cotações – Post Script: A essência do fenômeno do Homem (JPaulsen. QF): <http://www.richmond.edu/~jpaulsen/teilhard/psquotes.html> .
  22. Citações (Citações) du Groupe Zoologique Humain (Maria Luiza Glycerio et Janice B. Paulsen): <http://www.richmond.edu/~jpaulsen/teilhard/GZHcitations.html>.
  23. Citações do Zoologique Groupe Humain (extractos citados por Maria Luiza Glycerio e traduzido para o Inglês por Janice B. Paulsen): < http://www.richmond.edu/ ~ jpaulsen / Teilhard / GZHquotes.html >.
  24. Teilhard de Chardin – “noosfera et hypermonde” (Pierre Berger, mai 1994): < http://193.106.74.2/HYPER/Ecrits/Berger/TEILHARD.HTM >.
  25. ” Pleroma “, em Teilhard de Chardin – O Projeto Pleromatics (Donivan Bessinger, MD): < http://members.aol.com/projbin/plerteil.htm >.
  26. Associações de Teilhard de Chardin: <http://www.pme-sme.com/associations/teilhard/index.htm >.
  27. Fondation Teilhard de Chardin (Pays Bas): <? http://home-1.worldonline.nl/ ~ sttdc /> ,
  28. Le Groupe de aula Teilhard de Chardin de Nantes De: <http://perso.wanadoo.fr/michel.bay/index.htm> .
  29. Dialogos – Revista Interativa de Ciências, Filosofia e Teologia, dedicada ao avanço do conhecimento humano na convicção de que ” Tudo o que sobe deve convergir “(P. Teilhard de Chardin): <http://freeway.net/~~HEAD=NNS do ~ dialogos />
  30. Pierre Teilhard de Chardin (Hsi Yen Duen) – ” O propósito deste site … é facilitar o desenvolvimento de uma mente mundo consciente cuidado coletivo gama “: < http://www.noogenesis.com/chardin.html >.
  31. “Teilhard de Chardin ea noosfera “(o reverendo Phillip J. Cunningham, CSP, CMC Revista Foco Edição Especial (3/97): on-line Espiritualidade: <http://www.december.com/cmc/mag/1997/ mar / cunning.html> .
  32. “Teilhard de Chardin e Noospherics” : < http://www.noospherics.com/teilhard.htm >.
  33. ” A Noosfera “: < http://www.nettuno.it/fiera/electric.italy/noosphere.html >.
  34. Pierre Teilhard de Chardin (Frank D. Smith, Físico):. <http://www.innerx.net/personal/tsmith/TeildCh.html> .
  35. “O ciberespaço eo Sonho de Teilhard de Chardin” (John R. Mabry): <http://members.home.net/dlature/united/ph2paper/noosph.html> .
  36. Citações de “A ativação de Energia”, de Pierre Teilhard de Chardin (Dale Lature, United Theological Seminary): <http://members.home.net/dlature/united/ph2paper/pierretdc.html> .
  37. ” A roupa Globe-se com um cérebro “(Jennifer Cobb Kreisberg): “Teilhard de Chardin estabelecer o enquadramento filosófico para planetária, consciência Net-base de 50 anos atrás”: <http://www2.gol.com/users/coynerhm / teilhard.html> .
  38. ” Síntese O Cerebelo – Cerebelo: Sutil, Central “(PR Celso, Universidade de Michigan, 07 de julho de 1997): < http://www-personal.umich.edu/ ~ prcelsus / central.html >.
  39. Neur @ nat “L’enseignement de la neuroanatomie par l’image” (École Normale Supérieure): < http://www.magbio.ens.fr/neuranatpro/index.html >.
  40. Teilhard en Chine: <http://www.cruzio.com/ ~ CSCP / teilhard.htm> .
  41. La Bible sur WWW:, Ephésiens 1 – LSG:
  42. O Portal da Bíblia: Efésios 1 – RSV
  43. FRS – Annuaire de la Francophonie Religieuse et sur le Spirituelle Net: < http://annuaire-frs.com/index2.htm > [Choisissez “Champs de Recherche” et tapez “Teilhard”].
  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: